Notícias, Universo da Dança

Uma Estátua para a Dança de Salão

aba_estatua

Para marcar o encerramento das comemorações dos “200 anos de ensino de dança de salão no Brasil”, iniciadas em julho de 2011, será lançado manifesto ao poder público pedindo a inauguração de uma estátua, na cidade do Rio de Janeiro, em homenagem à Maria Antonietta, ícone da dança de salão carioca que já foi destaque na 2ª edição da revista digital Dança em Pauta (clique no ícone da revista abaixo para ler a matéria).

A frente da campanha estão o pesquisador e autor de livros sobre história da dança de salão, Marco Antônio Perna, e os editores do jornal carioca Falando de Dança, Antônio Aragão e Leonor Costa. O grupo já pediu o agendamento de uma reunião com Carlos Roberto Osório, Secretário de Conservação do Município do Rio de Janeiro, e com Vera Dias, Diretora de Monumentos e Chafarizes. “Estamos fazendo contatos com pessoas públicas, que possam nos ajudar a levar às instâncias competentes o pleito desse segmento cultural que é a dança de salão”, relata Antônio Aragão.

O manifesto a favor da estátua será lançado durante o Baile do Dia do Dançarino, no dia 21/07, data instituída no Calendário Oficial de Eventos do município do Rio de Janeiro, de acordo com um projeto de lei de 2002, de autoria do vereador Sebastião Ferraz. O baile, que marcará o encerramento das comemorações do bicentenário da dança de salão, contará com apresentação do dançarino Jaime Arôxa; exposição sobre a história da dança de salão; lançamento dos volumes 2 e 3 da coletânea “200 Anos da Dança de Salão no Brasil”, de Marco Perna; entre outros.

Durante o evento também será realizado o II Prêmio Cultura da Dança de Salão, que este ano homenageará parlamentares que apoiam esse segmento cultural. Em 2011, o grande homenageado foi o então presidente da comissão de cultura da Alerj, Alessandro Molon, autor da Lei 5828/2010 que declarou a dança de salão carioca patrimônio cultural imaterial do Estado do Rio de Janeiro.

Sobre o Bicentenário do ensino da dança de salão no Brasil
A data foi instituída com base na publicação do primeiro anúncio de aulas de dança de salão na Imprensa Régia, primeira casa impressora do Brasil, instalada graças à chegada da família real portuguesa ao Rio de Janeiro. O anúncio, feito pelo professor Luís Lacombe, vindo de Portugal por ordem de D. João, e que data de 13 de julho de 1811, dizia:

“Luís Lacombe, professor de dança, ultimamente chegado ao Rio de Janeiro, tem a honra de anunciar a todas as pessoas civilizadas desta Cidade, que ele se propõe ensinar todas as qualidades de Danças próprias nas sociedades: todas as pessoas que lhe quiserem fazer a honra de tomar as suas lições o poderão procurar na rua do Ouvidor, n. 82, 3º andar”

  • O que: Encerramento das comemorações do Bicentenário da Dança de Salão no Brasil
    O que: Baile do Dia do Dançarino
    Quando: 21/07 – 14h
    Onde: Helênico Atlético Club – Rua Itapiru, 1305, Rio Comprido – Rio de Janeiro-RJ
    Informações: (21) 2535-2377 / 9202-6073
Postagem AnteriorPróxima Postagem

4 Comments

  1. Olá Pessoal,

    Sou filha da mestra Maria Antonietta. Professora Aninha que trabalhou muitos anos com ela na Estudantina. Quando à minha mãe o que tenho a dizer é que foi uma profissional excelente que não via o caminho do dinheiro somente, preferia viver sua arte. Ela amava a dança se sentia feliz ao ver seus alunos rodopiando nos salões, evoluindo. Muitos são profissionais hoje em dia.

    Sou suspeita para falar. Quero agradecer a todos que a homenagearam no dia do baile dos 200 anos da dança.

    Agradecer aos que a condecoraram com o troféu IN MEMORIAM neste evento.

    Grata, abraços e façam o que ela sempre fez: DANCEM com amor e fidelidade a verdadeira dança de salão. Com originalidade e beleza

    Beijos a todos.

  2. Uma Pequena Notável, que me tirou pra dançar, na Estudantina, com um olhar que me envolveu de prazer,
    com suas delicadas mãos e passos bem marcados,
    sua sáia rodada abria espaço naquelas tábuas corridas
    ao som de um bolero La Barcante. Antonieta, eu te vi na TV
    e tremi ao te ver, em tão grande ser.
    Deixou os terrestres mas também deixou submestres para evoluir nossa dança.

  3. Nada mais justo, homenagear essa pessoa que foi o maior ícone das Danças de Salão no Brasil, com uma história de vida sofrida e ao mesmo tempo fantástica envolvendo Danças de Salão, a pequenina grande mestra Maria Antonietta Guaycurus de Souza.

    abraxxx.
    Airton

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *