Danças de Salão, Salsa em Pauta

Somos Latinos!

Por que será que a salsa, um ritmo resultante de tantas misturas, tantas influências diferentes, tanta miscigenação, cuja própria identidade é difícil definir – até o local do seu nascimento é questionado – se torna tão emblemático e tão representativo da cultura e da identidade latinas? Talvez a resposta esteja exatamente na própria pergunta: porque a história e processo de formação cultural da América Latina, seus povos, suas sociedades e seus indivíduos sejam exatamente isso.

Essa pluralidade, essa reunião singular de tantas características diferentes, esse resultado tão intenso quanto surpreendente da mistura de ingredientes tão diversos, essa condição de não ser especificamente nada e ser tanta coisa ao mesmo tempo, está no germe que criou esse ritmo tão rico (mais do que isso, essa cultura de música, dança e comportamento) e está também no sangue que corre nas veias de cada indivíduo que ajudou a criar a história desse continente, único em toda a sua riqueza.

E começo minha coluna e minha participação na Dança em Pauta com uma afirmação que, por mais óbvia que possa parecer, ainda assusta e surpreende muitos de nós brasileiros:

Somos latinos também!

Isso mesmo. Por mais que sonhemos em conhecer Nova York, fazer compras em Miami, passar a lua de mel em Paris, que moremos em tantos condomínios com nomes pomposos em inglês, que hajam por aí tantos filhos chamados “Jeniffers” e “Washingtons”, a realidade é que somos tão latinos como nossos “hermanos” do Chile, Paraguai, Colômbia, Venezuela, Cuba e de todos os outros países que compõem o vasto território da América Latina.

E devemos dar graças a isso! Somos brancos, somos negros, somos índios, somos europeus, africanos, asiáticos, somos tropicais, coloridos. Temos o samba, o tango, o forró, o bolero, o chachacha, o merengue e, claro, a salsa, com toda a sua pluralidade, força, vibração e incrível poder, só para citar os ritmos mais populares. Somos algo que ninguém mais poderia ser.

Falta ainda a nós, brasileiros, o reconhecimento dessa condição, uma maior aproximação e aceitação dessa identidade e do orgulho que ela representa. Minha vivência esses anos todos como professor, dançarino, coreógrafo, músico, pesquisador e produtor, mostra que vale muito à pena.

A partir de hoje, estarei presente aqui, compartilhando essa experiência e escrevendo sobre salsa e a cultura dos ritmos latinos, esperando contribuir, não só para um maior conhecimento e compreensão destes por parte dos leitores, mas para o enriquecimento e crescimento de cada um, a partir da ótica e da maneira de ser que os costumes e a própria cultura do povo latino nos ensina.

 

Previous ArticleNext Article
Professor, dançarino, músico, coreógrafo e produtor artístico, envolvido com a dança desde 1995 e especializado em salsa e ritmos caribenhos. É co-fundador, diretor, coreógrafo e dançarino da Conexión Caribe Companhia de Dança, a primeira especializada em Salsa no Brasil. Diretor e organizador do Congresso Mundial de Salsa do Brasil e da Semana da Cultura Latina, em São Paulo.

13 Comments

  1. Excelente!!!
    Já venho comentando sobre isso com alguns colegas, mas suas colocações são bem mais fáceis de entender.
    Quero compartilhar no meu grupo de salsa.

    Abçsssss

  2. É muito importante salientar, dar ênfase em que brasileiros são latinoamericanos. A diferença dos demais é que falamos português. Mas quão grande é essa diferença? Na península Ibérica Portugal se distinguiu como país por volta do ano 1100. O primeiro país da Europa, o mais antigo. Se isso não tivesse acontecido, ele seria mais uma província da Espanha, que tem várias linguas no seu território, mas a oficial é o castelhano, o espanhol. Mas não somos só latinoamericanos. O Pelé falha muito quando ele se diz assim. Somos afro-latino-americanos. E nisso não temos diferença dos demais países da América Latina. Aliás, a semelhança entre Cuba e a Bahia provém daí, da mesma origem Yorubá. Sentiremos melhor a salsa se compreendermos nossa história comum, e a história da salsa. Stop por hoje.

  3. Pessoal, agradeço muito os votos de boas vindas. Espero ajudar a fazer deste, também um canal importante de diálogo e um espaço importante para divulgação da cultura dos ritmos latinos.

    Abrazos!

  4. Agradeço de coração pelo comentário Keyla, mas nós da dança de salão é que devemos parabenizar você e sua equipe. =D

    Tenho certeza que o mundo da dança vai evoluir bastante com todas essas informações!

    Obrigado!

    Abç

  5. Curti, curti, curti!!! E VIVA LA SALSA! Muita coisa bacana a ser revelada e estudada sobre este ritmo que nos dá tanto prazer de dançar!! Que a SALSA esteja EM PAUTA e em alta por aqui!
    bjs

  6. Olá Roberto e Márcio,

    Nossa ideia é ter colunas específicas para cada ritmo mesmo, então aos poucos vamos agregando profissionais que enriqueçam o conteúdo da Dança em Pauta, como é o caso do Ricardo Garcia.

    Márcio, aproveito para dar os parabéns pela forma inteligente com que divulga notícias sobre a dança de salão em seu blog, fazendo seus próprios comentários e dando os links. Desta forma vc oferece variedade de informações aos seus leitores, respeitando o trabalho dos demais provedores de notícias. É um exemplo positivo pra galera do “copiar e colar”!

    abç,

  7. João Batista

    Parabéns, Ricardo!

    Com esta iniciativa, somando-se a outras que voce já tomou em prol das nossas identidades, seremos agraciados com informações fundamentais para fortalecimento e entendimento dos nosos laços culturais latinoamericanos.

    Agradeço a voce e a Dança em Pauta pela brilhante iniciativa. Forte abraço!

  8. Muito bem lembrado maestro!!! Somos todos latinoamericanos! Quando me perguntam se sou brasileiro, digo que “sim, e latinoamericano!” Precisamos perceber melhor nossos valores, nossas tradições e riquezas regionais, fruto dessa mistura incrível de todos os outros continentes neste cantinho sagrado chamado América Latina! Grande abraço!

  9. Muito legal ter esta nova coluna específica sobre a Salsa. Vai ser muito bom saber mais sobre a cultura latina e seus ritmos calientes, pq o brasileiro esquece mesmo que é latino.

    Mas e quando vai ter uma coluna só para o Zouk hem, hem???rs Tem muita coisa pra se falar e “discutir” sobre ele. Fica aí a dica.

  10. Seja bem vindo Ricardo, tanto voce quanto o Douglas, são figuras que poderão sem dúvidas explicar o mundo das danças Afro- Latinas, pelo vasto conhecimentos que voces possuem.

    abraxxx.
    Airton

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *