Colunas, Dança & Comportamento

Seleção Natural de Darwin X Seleção Natural no Salão

aba_dance-couple-evolution

Filhos de pais que se encontraram e se escolheram praticando danças de salão estão espalhados pelo mundo. Acredito que muitos dos leitores conhecem pelo menos uma criança que nasceu do encontro de seus pais neste fantástico espaço de tantas possibilidades.

Não faltam estudiosos dedicados aos temas que tentam explicar os fatores envolvidos na escolha de parceiros sexuais e reprodutivos. Charles Robert Darwin (1809-1882) ocupou-se deste tema em meados do século XIX, como parte do seu estudo sobre a seleção natural, denominando seleção sexual à escolha de características físicas e comportamentais entre os parceiros, quando resultava na produção de descendentes. Sim, Darwin considerou que características comportamentais são selecionadas pelos parceiros sexuais e transmitidas às gerações futuras. Assim, a seleção sexual também norteia a evolução de características que atribuem aos indivíduos vantagens reprodutivas e ainda o que nossa espécie será no futuro, afinal, estas escolhas desenham o perfil do humano nas gerações vindouras.

pavao_macho

No incrível mundo biológico, os exemplos são de exuberante beleza, como as plumagens coloridas em aves machos e a forma com que são construídos e enfeitados os mais detalhados ninhos. No misterioso mundo humano, as condutas estão neste páreo com muita força. Parceiros se escolhem não só por seus traços físicos, cheiros e texturas, mas por seu pool de atitudes, que não deixam de ser ornamentos extremamente especializados e altamente capacitados no jogo da atração, da sedução e da reprodução.

E o salão é um grande palco das preliminares reprodutivas, ali estão concentrados muitos destes fatores, quando não todos. As avaliações dos parceiros aguçam-se, pois se revelar mesmo sem palavras é a regra. Neste ambiente, notamos o nível de atenção de cada um com seu par e com os outros, o respeito devotado ao ambiente, o status de altruísmo, egoísmo, empatia, compromisso, irreverência, autocuidado e qualidade mental. Um paraíso para escolha do que se quer ver na descendência.

Como tudo na vida, uma pitadinha de maturidade ajuda no discernimento. Então, algumas damas talvez prefiram os parceiros mais vistosos, mas outras certamente perceberão os mais raros e valiosos, aqueles mais competentes em satisfazê-las. Há cavalheiros que escolhem as damas visualmente mais atraentes, outros, as que reagem de modo a torná-los melhores.

Sabemos que a beleza em um salão de danças é muito relativa, talvez por isto o robusto John Lindo, dançarino norte-americano, tenha muito mais chances de sucesso neste contexto do que um galã de Hollywood.

A beleza tem outra face no salão, muito mais exigente, afinal, o gostoso é aquele que faz o par se sentir bem, se sentir capaz, com beleza própria e competente, este é o par mais desejado. E se o momento reprodutivo estiver na contagem de pontos, o par mais atencioso e dedicado tende a vencer aquele escravizado por um padrão de beleza midiático ou pela apoteose da própria aparição. Afinal, é o que a prole mais precisa, não de um pai ou uma mãe simplesmente com o dote da beleza, mas sim, pais capazes de amar além de si mesmos, de dedicar a outro carinho, atenção, e dispostos aos mais variados tipos de investimentos. Sabemos que o sucesso da prole pode estar relacionado à esta atenção altruísta dos pais e tantas outras questões que são avaliadas no momento da escolha dos parceiros, o que sem dúvida acontece na casa de estratégias reprodutivas que é o baile.

Talvez seja por aí que o salão participe do gigantesco desenho humano, trazendo à baila uma deliciosa forma de definir qual óvulo será fecundado por qual espermatozóide…

pregnant-couple-embrace

* Dedico este artigo a todos os filhos de meus dois irmãos que escolheram seus pares reprodutivos em encontros dançantes.

Postagem AnteriorPróxima Postagem
Autora de livros, artigos científicos publicados em periódicos nacionais e internacionais, textos de divulgação em diversas mídias, colunista de jornais e revistas de diferentes estados brasileiros, licenciada e mestre na área das Ciências Biológicas, palestrante e professora na área da Dança de Salão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *