Artigos, Em pauta, Gestão de Carreira

Sejam todos bem vindos!

carreira-na-danca

Tenho viajado por diversos lugares e conversado com muitas pessoas. Tenho aprendido a manter despertas minhas percepções e talvez por isso o tema de hoje seja este: COMO CAUSAR A IMPRESSÃO CERTA.

people-crowd-from-above500Adoro observar. Entendo que o olhar atento é um dos mais importantes ingredientes da criatividade. Gosto de perceber como as pessoas caminham, em que velocidade, olhando para onde. Percorro desde a postura e linhas dos ombros, passando pelo modo como seguram os objetos nas mãos até a forma de pisar, um pé após o outro. Suas roupas, adereços e cabelo por vezes falam o que sua boca ainda não teve coragem de dizer… enfim… adoro observar.

Resolvi tocar neste assunto porque Danças Urbanas, gênero de dança que pratico, envolvem pontos interessantíssimos a serem discutidos, principalmente as roupas. Não sou um crítico de modas nem representante de empresa de vestuário, como também não estou aqui para falar disso diretamente, mas como produtor e gestor, atuando diariamente com apresentação de projetos para grandes empresas, captação de recursos, além das aulas normais, aprendi com o tempo que as roupas trazem sim ”signos” – referências no subconsciente das pessoas – que por vezes vão na contra mão do seu discurso. Entenda que não digo para não ser quem você é, apenas desperto sua atenção para que as pessoas com as quais você irá falar algo, entendam seu texto da mesma forma que leem suas roupas.

Lembro-me do primeiro ano em que fui chamado para ser professor de um grande Festival de Dança do país. Na ocasião eu recebi uma ligação de uma professora super conceituada de ballet clássico, minha amiga, dizendo o seguinte: “Octávio, parabéns pelo convite, já estou sabendo. Ligo para te dar uns conselhos: corte sempre sua unha, penteie sempre seu cabelo, faça sempre sua barba. Respeite todos os horários e entenda que quando te disserem 15h, esteja 14h50 já pronto. Não responda além do que te perguntam e observar é mais importante que falar. De qualquer maneira, se perguntarem, dê sua sincera opinião”. Num primeiro momento me pareceu conselho de mãe… e num segundo momento fiquei feliz por ela me ver desta maneira.

Hoje sou muito grato por estas “óbvias” palavras quando percebo que a impressão a qual ela me referenciou ia muito além da aparência externa. Que saber entrar e sair de uma conversa remetia respeito e que saber qual tom de voz se permite em qual lugar também. Que o vocabulário utilizado refletia educação e o conteúdo da sua fala, conhecimento. Que esperar todos se servirem para depois você começar a comer, mesmo tendo chegado antes na mesa, era percebido por alguns e que sempre levantar quando alguém se apresenta à você é percebido por todos. Que a gentileza está no ato de servir, oferecer, ceder… e é apreciado por qualquer um. Que as pessoas gostam de falar e é importante saber ouvir, de verdade, olhando nos olhos. Entender que receber uma ligação sempre será melhor que receber uma mensagem, principalmente se você realmente quiser saber como ela está. Que apertar a mão com segurança e abraçar com delicadeza te fazem atencioso da mesma maneira que apenas sentamos ao lado dos amigos quando percebemos que não querem falar nada.

david-Beckham-styleCuriosamente, alguns anos depois, ouvi uma matéria no jornal: “Messi foi eleito pela segunda vez o melhor jogador de futebol do mundo” e dois dias depois li numa revista uma lista que trazia como matéria da capa os 50 maiores salários do mundo pagos para atletas entre todos os esportes. Para minha surpresa, não encontrei o nome do Messi, mas na 8ª posição encontrei o do David Beckham. Fui procurar o porquê do melhor do mundo não receber mais que outro jogador dentro da sua profissão e logo percebi. Seu ex-técnico no Manchester United, Alex Ferguson, disse que Beckham “detém uma disciplina de modo que outros jogadores não se preocupam”. A Revista Forbes americana o considerou a 5ª personalidade mais influente do mundo. Foi o jogador mais vinculado em anúncios comerciais de produtos em toda a história e considerado pela France Football o jogador de futebol mais rico do mundo, finalizando sua carreira com um salário de 31 milhões de euros por ano e acreditem, todo o salário foi anunciado e doado para uma Fundação de Caridade Infantil Francesa.

Por fim, entendi que não é o quão bom no que faz que fará as pessoas te perceberem, mas quão bom você é como pessoa no resto do tempo… E para vocês, se eu pudesse dar um importante conselho sobre suas carreiras, diria:

“corte sempre sua unha, penteie sempre seu cabelo, faça sempre sua barba e respeite todos os horários.”

Postagem AnteriorPróxima Postagem
Dançarino, coreógrafo, produtor cultural e pesquisador especializado em hip-hop. Idealizador e coordenador geral do FIH2 – Festival Internacional de Hip Hop e do MBA em Dança – Gestão e Produção Cultural – da Faculdade Inspirar em Curitiba. Autor do livro ‘Culinária Coreográfica – Desmedidas de receitas para iniciantes na cozinha cênica’. Júri da Competição de Dança de Rua no programa TV Xuxa e também do quadro “Dança dos Famosos”, ambos da Rede Globo.

2 Comments

  1. Concordo com cada palavra lida e agradeço a oportunidade de poder ter lido e absorvido um pouco do tanto que tens para passar! Obrigada pelos conselhos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *