Notícias, Universo da Dança

Seis brasileiros são indicados ao “Oscar” mundial da dança, em Moscou

aba_daniel-camargo_ex-aluno-edtg

Nesta terça e quarta (05 e 06/06), no Teatro Bolshoi, em Moscou, será realizado o 26º Festival Benois de la Danse, considerado o prêmio mais importante da dança no mundo. Seis profissionais brasileiros estão na lista dos indicados:

  • Melhor coréografa – Déborah Colker, por Cão Sem Plumas, da Cia Deborah Colker;
  • Melhor bailarina – Amanda Gomes, pelo papel principal em Esmeralda, da Tatar State Opera Ballet, de Cazã, na Rússia;
  • Melhor bailarino – Daniel Camargo, como solista em ‘Chamber Symphony D.Shostakovich’, do Dutch National Ballet, em Amsterdã, na Holanda; e também pela interpretação de Solor, em La Bayadère, como artista convidado do The Tokyo Ballet, no Japão;
  • Melhor compositor – Jorge Du Peixe e Berna Ceppas, pela trilha de Cão Sem Plumas, da Cia Deborah Colker;
  • Melhor Cenógrafo – Gringo Cardia, por Cão Sem Plumas, da Cia Deborah Colker.

Amanda Gomes, de 22 anos, é natural de Goiânia. Começou a dançar aos sete anos e aos 10 foi aprovada para ingressar na Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, em Joinville. Em 2014 mudou-se para a Rússia, onde passou a atuar na Tatar State Opera Ballet, cia. da qual é primeira bailarina. Ganhando diversos prêmios mundiais, Amanda foi incluída em 2015 na lista dos 30 profissionais brasileiros de destaque, com menos de 30 anos, da revista Forbes.

Amanda Gomes, que concorre como melhor bailarina, em cena de Esmeralda. | Foto: Ramis Nasmiev
Amanda Gomes, que concorre como melhor bailarina, em cena de Esmeralda. | Foto: Ramis Nasmiev

“Ainda não acredito que fui indicada para uma premiação dessa magnitude no mundo da dança. Sou muito grata a todos que torcem por mim e que me acompanham nessa carreira tão difícil que é a de uma bailarina. Fico orgulhosa de representar o Brasil e incentivar tantos outros a seguirem esse caminho, tudo isso é fruto de muito trabalho e de muito amor pelo que faço. Esta é uma grande conquista e agradeço muito a Deus por isso”, comenta Amanda.

daniel-camargo_dutch-ballet
Daniel Camargo, indicado na categoria Melhor Bailarino. | Foto: divulgação

O bailarino Daniel Camargo, de 26 anos, foi aluno da Escola de Dança Teatro Guaíra (EDTG), em Curitiba-PR, entre 2001 e 2005. Sua carreira internacional começou em 2004, quando viajou para Nova York com a EDTG para participar do Youth America Grand Prix e ganhou uma bolsa de estudos. Daniel completou sua formação na John Cranko School em Stuttgart, na Alemanha, e, ao longo da carreira, recebeu diversos prêmios, como o European Most Promising Award e o German Future Award. Hoje ele é o dançarino principal do Dutch National Ballet.

Natural de Sorocaba-SP, ele mudou para Curitiba aos 9 anos, após uma de suas irmãs, também bailarinas, ter sido selecionada para dançar no Guaíra. De família simples, Daniel apostou desde cedo na dança como caminho para um futuro melhor. Iniciou seus estudos em 2001 como aluno ouvinte e, em 2002, foi aprovado no teste seletivo do EDTG. “A escola me deu um alicerce para que eu conquistasse o que conquistei. Éramos um grupo muito unido, jovem, mas dedicado. Passávamos o dia todo na escola, com alegria. Era um clima de família”, comenta Daniel.

O jovem já se apresentou em mais de 17 países. Em duas dessas ocasiões, em Tóquio e Amsterdam, sua performance chamou a atenção dos jurados do Prix Benois de la Danse. “Hoje vejo que escolas como o Guaíra são fundamentais. Assim como aconteceu comigo, é preciso continuar acreditando nas crianças de hoje”, diz.

A premiação também terá uma representante brasileira entre os jurados, a bailarina, coreógrafa e professora, Nora Esteves.

aba_cao-sem-plumas_deborah-colker
Cena do espetáculo Cão Sem Plumas, da Cia Déborah Colker, indicado nas categorias: Melhor Coreógrafa, Melhor Compositor e Melhor Cenógrafo. | Foto: Cafi/divulgação

Sobre o prêmio Benois de La Danse
Foi criado em Moscou pela União Internacional da Dança, e foi apresentado ao público, pela primeira vez, no palco do Teatro Bolshoi, na Rússia, em 29 de abril de 1992, pelo então Presidente da União e famoso coreógrafo Yuri Grigorovich, que é também Diretor Artístico deste projeto e Presidente do Júri. O evento premia vários setores no meio da dança, entre bailarinos, coreógrafos, músicos e profissionais da área pelo trabalho realizado no ano anterior.

Postagem AnteriorPróxima Postagem
Jornalista formada pela Universidade Tuiuti do Paraná, atuando na área desde 1997 como repórter, redatora e assessora de imprensa. Em 2010, lançou o site Dança em Pauta com a proposta de empregar seu conhecimento em comunicação para divulgar a dança. Trabalhou em publicações segmentadas em Curitiba e São Paulo. Desde 2004, desenvolve trabalho de assessoria de comunicação para profissionais e empresas atuando no planejamento e execução de estratégias de comunicação interna e externa, produção de conteúdo, publicações corporativas e assessoria de imprensa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *