Eu danço

Rueda en el Parque: circulando a alegria latina pela cidade!

aba_rueda-en-el-parque

Dança, esta arte cativante que usa o corpo como ferramenta, não tem como não ser democrática, mas, muitas vezes, envoltos na magia de exuberantes performances de profissionais que dedicam sua vida a ela, acabamos acreditando que ela não é para qualquer um. Porém, são ideias simples e cheias de paixão como a do grupo Rueda en el Parque, de Curitiba, que vem provar que ela é sim, para todos!

Tudo começou quando dois dançarinos, Priscila Barkman e Áureo Lustosa, movidos por sua paixão pela salsa, organizaram em fevereiro deste ano o Curitiba Social Club, um evento que trouxe aulas abordando variados temas relacionados a salsa, ministradas por vários professores da cidade. O evento foi sucesso e quem esteve presente foi convidado a participar de um grupo no whatsapp para falar sobre salsa e divulgar os eventos do gênero na cidade.

No dia 2 de abril, Priscila e Áureo animaram o público presente na festa de lançamento do novo portal Dança em Pauta com uma grande Rueda de Casino, aberta a todos que quiseram dançar. No dia seguinte, por iniciativa de outro salsero, Alano Oliveira, e também com apoio da dupla, um grupo, formado por pessoas com e sem experiência nenhuma em dançar salsa, convidados através do grupo do whatsapp, se reuniu no Museu Oscar Niemeyer (MON), em Curitiba, para dar início a um grupo de estudos de Rueda de Casino, com encontro marcado todos os domingos. Uma pequena iniciativa para divulgação da salsa, mas que em pouco tempo superou as expectativas de todos os participantes.

Rueda en el Parque em um final de tarde no Museu Oscar Niemeyer.
Rueda en el Parque em um final de tarde no Museu Oscar Niemeyer.

Alano conta que a proposta era difundir a salsa na cidade, reunindo tanto as pessoas que já dançam, quanto trazendo novos praticantes, por isso dançar em espaço público, com uma forma democrática de “brincar” com a salsa: “Na rueda todo mundo interage e acaba aprendendo sem perceber”.

O advogado Ricardo Humberto, que há quatro anos faz aulas de dança de salão, é um dos integrantes do grupo. Ele conta que já havia assistido apresentações de rueda anteriormente e tinha ficado encantado. Quando surgiu a proposta do grupo de estudos ele não teve dúvidas em fazer parte: “A rueda de casino propõe uma coisa muito lúdica, não tem aquela coisa de ficar acanhado, é rir do erro e seguir em frente. Às vezes, tem gente assistindo dançarmos e quando chamamos pra entrar dizem: ‘mas eu não quero atrapalhar vocês’. É aí que a gente explica que o intuito aqui é errar mesmo, pra gente rir, brincar e se divertir”.

Estudo, diversão e dedicação para as apresentações do grupo.
Estudo, diversão e dedicação para as apresentações do grupo.

Mas o clima leve e descontraído do grupo não significa que eles não levem a sério o aprendizado da dança, como ressalta outra integrante, Satiya Sauer, que já havia feito aulas de dança de salão, mas teve na rueda seu primeiro contato com a salsa: “Todo mundo tem muito espaço pra expor suas ideias, como gosta de dançar, mas ao mesmo tempo em que é bem aberto, é um trabalho sério. Estamos bem empenhados em aprender a dançar melhor e conhecer mais sobre salsa cubana”.

Esta vontade de aprender mais levou alguns participantes do grupo a iniciarem apresentações de rueda de casino em eventos pela cidade. As apresentações têm coreografias criadas em conjunto pelos participantes, mas contam com a experiência de Priscila, que desde 2011 começou a se especializar em salsa, participando de congressos no Brasil; fazendo aulas em Cuba, com o grupo folclórico Folkcuba; e na Argentina, com Carlos Aragon; além de conquistar este ano o título de Campeã Brasileira de Salsa Social, no Porto Alegre Salsa Congress. “É muito bonito este discurso de ter um grupo super colaborativo, mas ao mesmo tempo é um desafio pra todo mundo ter essa flexibilidade de lidar com várias opiniões e caminhar juntos. Mas percebo que existe muita humildade no grupo, muita empatia, todo mundo se coloca muito no lugar do outro e isso ajuda o grupo a se manter coeso”, ressalta Priscila.

rueda-mon-maos

Já para outra integrante do grupo, a bancária Derli Lara, participar das apresentações foi uma superação pessoal. “Quando entrei no grupo minha ideia era praticar salsa, um ritmo que adoro. Acabei participando das apresentações meio no susto, mas coloquei isso como um desafio pra mim, pois sou muito tímida e isto está me trazendo mais desenvoltura não só na dança, mas na vida pessoal e profissional”, ressalta ela.

Hoje, contando com cerca de 30 participantes, parte deles têm dedicado mais dias da semana aos ensaios, mas a rueda de casino aos domingos continua aberta a quem quiser participar. “Agora pretendemos levar a Rueda para outros parques e pontos turísticos pra que mais pessoas conheçam”, comenta Alano. Além disso, o grupo fechou uma parceria com a casa noturna Zapata, onde quinzenalmente irão se apresentar e dar aulas de Rueda de Casino ao som da banda El Merekumbé.

Confira a apresentação do grupo no palco do Teatro Fernanda Montenegro:

Mas embora o grupo de estudos tenha ganhado força e seus integrantes já venham demonstrando o resultado de sua dedicação nas apresentações, todos são unânimes em afirmar que o grande sucesso deles está na união e na disposição de todos em compartilhar conhecimento com prazer:

“O que me encanta neste grupo é a solidariedade entre todos, a cooperatividade, a força e o otimismo que um tenta passar pro outro, são coisas que a gente leva pra vida”, Derli Lara.

“É muito legal estar com estas pessoas. A gente adquire uma afinidade, é como se fosse uma família, meus irmãos de salsa!”, Ricardo Humberto.

“Eu costumo dizer que é um grupo bem raro, porque é difícil você encontrar tantas pessoas legais num só grupo”, Satiya Sauer.

“O engajamento do grupo é muito forte por não termos uma hierarquia rígida. Quando estamos juntos é como se fôssemos um corpo só dançando. Todos se sentem importantes dentro do grupo e responsáveis pelo resultado das ações e isso faz com que todos queiram agregar o máximo”, Priscila Barkman.

“Começamos a nos apresentar, mas mantemos o grupo aos domingos no MON para quem quiser participar. Não queremos criar “panelinhas”, queremos manter o grupo aberto a todos para trazer mais pessoas para a salsa”, Alano Oliveira.

Quem quiser saber mais sobre o grupo ou participar da Rueda de Casino, pode entrar em contato com eles através da fanpage no Facebook www.facebook.com/Ruedacwb/

Postagem AnteriorPróxima Postagem
Jornalista formada pela Universidade Tuiuti do Paraná, atuando na área desde 1997 como repórter, redatora e assessora de imprensa. Em 2010, lançou o site Dança em Pauta com a proposta de empregar seu conhecimento em comunicação para divulgar a dança. Trabalhou em publicações segmentadas em Curitiba e São Paulo. Desde 2004, desenvolve trabalho de assessoria de comunicação para profissionais e empresas atuando no planejamento e execução de estratégias de comunicação interna e externa, produção de conteúdo, publicações corporativas e assessoria de imprensa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *