Notícias, Universo da Dança

Prêmio Açorianos de Dança, de Porto Alegre, anuncia indicados

O Centro de Dança da Secretaria da Cultura da Prefeitura Municipal de Porto Alegre divulgou na última sexta (01/03), os indicados ao Prêmio Açorianos de Dança, referente aos trabalhos apresentados em 2018 na capital gaúcha. Os vencedores serão conhecidos em cerimônia no dia 5 de abril, às 19h30, no Teatro Renascença, em Porto Alegre.

O grande júri, que avaliou os espetáculos inscritos, foi composto por Leonardo Dias, Vanessa Rodrigues, Laura Backes, Alexandre Rittmann, Ítalo Ramos, Cláudia Daronch e Rui Moreira.

O Prêmio Açorianos de Dança contempla ainda as categorias de destaque por modalidades, como balé, jazz, danças urbanas, entre outras, além das categorias de Novas Mídias em Dança e Projetos de Difusão e Formação. Essas categorias contam com júris especializados que somam um total de 22 profissionais da área.

O Prêmio Açorianos foi criado em 1977 para eleger os melhores do ano nas áreas de música, teatro, dança, literatura e artes plásticas e é considerado o mais importante prêmio cultural do estado do Rio Grande do Sul.

Confira os indicados:

Espetáculo do Ano

  • Ainda que seja noite
  • Cllã
  • Das amarras dela
  • Fisiologia do desespero
  • Não se esconda

Direção

  • Alex Sander dos Santos e Carlota Albuquerque, por Cllã
  • Carla Cassapo, por Ainda que seja noite
  • Eva Schul, por Fisiologia do desespero
  • Ivan Motta, por Gran Fuleiro Circus
  • Tainá Borges e Lara Rocho, por Das amarras dela

Bailarino

  • Adriano Soares (Driko Oliveira), por Gran Fuleiro Circus
  • Brendon Martins, por Não se esconda
  • Caleo Alencar, por Gran Fuleiro Circus
  • Marco Chagas, por Bixas pretas – da rejeição ao fetiche
  • Mariano Neto, por Gran Fuleiro Circus

Bailarina

  • Carla Vendramin, por Fisiologia do desespero
  • Lauren Lautert, por Cllã
  • Luciana Dariano, por Cllã
  • Renata de Lélis, por Fisiologia do desespero
  • Viviane Lencina, por Fisiologia do desespero

Coreografia

  • Carla Vendramin, Renata de Lélis e Viviane Lencina, por Fisiologia do desespero
  • Alex Sander dos Santos, Lauren Lautert e Luciana Dariano, por Cllã
  • Ivan Motta, por Gran Fuleiro Circus
  • Jean Guerra, Vitoria Candemil e Leonardo Rosa, por Não se esconda
  • Sílvia Canarim, por Ainda que seja noite

Cenografia

  • Alex Sander dos Santos, por Cllã
  • Carla Vendramin, Eva Schul, Renata de Lélis e Viviane Lencina, por Fisiologia do desespero
  • Elcio Rossini, por Chapeuzinho vermelho
  • Karenina de Los Santos, por Drama no salão
  • Luís Cocolichio, por Das amarras dela

Iluminação

  • Edu Rabin, por Fisiologia do desespero
  • Fabrício Simões, por Ainda que seja noite
  • Fernando Ochôa, por Cllã
  • Mirco Zanini, por Das amarras dela
  • Thais Andrade, por Chapeuzinho vermelho

Pequeno Juri

  • Ana Medeiros, por Ainda que seja noite
  • Atelier Alfa, por Gran Fuleiro Circus
  • Daniel Lion, por Chapeuzinho vermelho
  • Margarida Silva Rache, por Cllã
  • Renata de Lélis, por Fisiologia do desespero

Trilha Sonora

  • Alvaro Rosa Costa , por Chapeuzinho vermelho
  • Eduardo Essarts, por Fisiologia do desespero
  • Marcelo Fornazier, por Ainda que seja noite
  • Thiago Ramil, por Poéticas sobre morte/tempo/vida
  • Uri Caine, por Cllã

Produção

  • Circo Híbrido, por Das amarras dela
  • Cllã, por Cllã
  • Lucida Desenvolvimento Cultural – Luka Ibarra, por Gran Fuleiro Circus
  • Paula Finn, por Ainda que seja noite
  • Renata de Lélis e Viviane Lencina, por Fisiologia do desespero

Destaque em Ballet Clássico
Pequeno Juri: Alexandre Rittmann e Caru Arisio

  • Ballet Vera Bublitz – pela excelência e qualidade do trabalho na montagem do Ballet Giselle na abertura do FIDPOA.
  • 2ª Edição Educação em Dança/Encontro com Ana Botafogo – por proporcionar um espaço de encontro, troca de experiências e visibilidade, valorizando o Ballet Clássico em Porto Alegre.
  • FIDPOA – por colocar Porto Alegre no cenário internacional de eventos de Ballet Clássico.
  • Júlia Prestes – pela excelência no desempenho técnico e artístico em festivais nacionais e internacionais.
  • Lorenzzo Fernandes – por seu desempenho técnico e artístico em festivais nacionais e internacionais.

Destaque em Sapateado
Pequeno Juri: Leonardo Dias e Leonardo Stenzel

  • Aline Andrade – pelo contínuo trabalho de colaboração coreográfica e formativa junto ao Claque Centro de Sapateado.
  • Camila Figueira – pelo contínuo trabalho de colaboração coreográfica e formativa junto ao Claque Centro de Sapateado.
  • Camila Schilichting – pela performance no espetáculo Tímpano revelando qualidade técnica, coreográfica e cênica.
  • Cia de Dança Karin Ruschel – pelo espetáculo Tímpano firmando a cena profissional do sapateado na cidade e trazendo à cena um elenco coeso e artisticamente maduro.
  • Gabriella Castro – pela concepção e performance no espetáculo Tímpano consolidando relevante trajetória profissional no sapateado da cidade.

Destaque em Flamenco
Pequeno Juri: Clarice Alves e Carmen Preto

  • Ana Medeiros – pelo fomento de múltiplas criações e parcerias, criando possibilidades com outras linguagens, nos projetos Espíritu Libre Tablao, Vivência Flamenca, Carmem e os Violões, Flamenco Amistad e No me Callas.
  • O espetáculo Carmem Gaúcha – pela qualidade da produção apresentada comemorando os 25 anos dedicados a Arte Flamenca de Cadica Costa.
  • Casa Palo Santo – pela criação de um espaço que reúne a comunidade flamenca, possibilitando um novo local para o encontro de vários artistas, fomentando e divulgando a Arte Flamenca.
  • Del Puerto – Cia e Escola de Flamenco – pela manutenção de um repertório de Arte Flamenca e de um espaço de aprendizado, realizando o espetáculo A Gusto com grande qualidade técnica e artística.
  • Pedro Fernandez – pela longa trajetória dedicada a arte flamenca com excelência tanto no toque, no cante como no baile, levando a se destacar como coreógrafo, diretor artístico e musical no espetáculo Maestranza.
  • Sílvia Canarim – pela pesquisa da Arte Flamenca vinculada a contemporaneidade, explorando novas possibilidades artísticas evidenciadas no espetáculo Ainda que seja noite.

Destaque em Jazz
Pequeno Juri: Anette Lubisco e Maurício Miranda

  • POA Dança Jazz – por reunir os profissionais da categoria jazz abrangendo todos os estilos e pelo incentivo a nova geração, oferecendo um espaço de diálogo para troca de experiência entre profissionais de várias gerações.
  • Jazz for fun – Por sistematizar um material pedagógico, didático e prático do Jazz com foco na formação infanto-juvenil de visibilidade nacional.
  • Carol Dalmolin – pela potência empreendedora ao criar uma escola e com ela oferecer um importante espaço de formação de artistas da dança jazz.
  • Pâmela Santos – pela qualidade técnica, artística e expressiva, pela criatividade coreográfica e pela versatilidade que agrega outras técnicas à dança jazz.
  • Clara Litvin – pelo fomento do jazz musical na cidade, com um espaço de formação que envolve todas as artes ligadas a este estilo.

Destaque em Dança do Ventre
Pequeno Juri: Karine Neves e Priscilla Silvestre

  • Baladi Ya Wad – Edição Solidária – pela reunião e troca de experiências entre professores de diversas escolas em um evento beneficente.
  • Ahlam Dance Group – pelo trabalho inovador no RS com bailarinos homens e pelo incentivo ao estudo do folclore árabe.
  • XIX Festival de Dança do Ventre do RS – pela importância e repercussão do evento no cenário da dança do ventre na região e no Brasil.
  • Show de Intercâmbios de Talentos – por proporcionar a reunião e intercâmbio de inúmeros profissionais de diversas gerações formados por Brysa Mahaila.
  • Akilah Gawasy (Marilene Cardoso) – pelo seu trabalho com a dança do ventre na 3ª idade.

Destaque em Danças Urbanas
Pequeno Juri: Adriano Oliveira e Ítalo Ramos

  • Escola de Danças Reticências – pelas atividades de produzir e incentivar a cena urbana com workshops beneficentes, intensivos de dança e espetáculos.
  • Girese Zimmer – pela pesquisa e desenvolvimento das danças urbanas, exercendo excelência como júri do evento Hip Hop International, em diversos países ao redor mundo. Sua dedicação reverbera o desenvolvimento das Danças Urbanas de Porto Alegre a nível mundial.

Destaque em Dança Contemporânea
Pequeno Juri: Cláudia Daronch e Stephanie Cardoso

  • Espetáculo Cllã – pelo refinamento técnico e maturidade artística na articulação singular de diferentes elementos cênicos na construção de um imaginário inventivo e surpreendente.
  • Professor e Coreógrafo Eduardo Menezes – pela singularidade e relevância da estética desenvolvida na formação e criação coreográfica.
  • Caleo Alencar – pelo desempenho técnico, expressividade e presença cênica no espetáculo Gran Fuleiro Circus.
  • Projeto Mímese-Cia de Dança-Coisa – pela capacidade de propiciar a pesquisa individual resultando em um trabalho coletivo de extrema qualidade técnica e cênica.
  • Coletivo Corpo Negra – pela qualidade artística ao trazer para a cena contemporânea as questões étnicas e de gênero com protagonismo feminino.

Destaque em Danças Folclóricas/Étnicas
Pequeno Juri: Carina Petry Armani e Maria Lúcia Paz de Freitas Machado

  • Ballet Folclórico Luna Flor – pela iniciativa na criação de um novo grupo de dança folclórica na cidade.
  • Dênis Gerson Simões – pela promoção e difusão da dança e da cultura alemã através da realização do Tanzfest Porto Alegre 2018, junto ao Centro Cultural 25 de Julho.
  • Grupo de Danças Populares Andanças – pelas trocas culturais de danças realizada pelo grupo em diversos países e registradas no espetáculo Quadros Internacionais.
  • Lúcia Brunelli – pelo reconhecido trabalho na formação, criação e difusão de danças folclóricas evidenciada na curadoria do evento Invernada Farroupilha que reuniu CTGs de diversos pontos do estado.
  • Reminiscências – memórias do nosso carnaval – pelo trabalho de pesquisa e resgate da memória do carnaval de Porto Alegre coordenado e dirigido por Iara Deodoro.

Destaque em Projeto de Formação e Difusão em Dança
Pequeno Juri: Ilza Maria Praxedes do Canto e Márcio Pizarro Noronha

  • Escola Circo Híbrido – pela qualidade artística no processo de formação, continuidade e abrangência de público (alunos e espectadores) e pela difusão da técnica de dança aérea de forma transversal a outras linguagens cênicas.
  • Grupo Laços – pela coerência ao perfil de extensão universitária disponível a uma comunidade não restrita ao universo acadêmico e pelo trabalho de exploração de diferentes linguagens da dança.
  • Ninjato – Ninjas dançam o plano secreto – por sua orientação pedagógica na experimentação do corpo, do espaço e do movimento.
  • Pequenices: dança contemporânea para crianças – pela qualidade artística e pedagógica na reflexão teórica e sistematização metodológica para o ensino da dança. Pela tradução de temas e conceitos da dança contemporânea para o público infantil, criando uma rede formativa ampliada.

Destaque em Novas Mídias
Pequeno Juri: Airton Tomazzoni e Diego Esteves

  • Jardim dos orixás – pela iniciativa de aproximação entre as danças folclóricas e a produção em vídeo no âmbito universitário.
  • Lugar em mim – pela experimentação da videodança na sua relação entre corpo e espaço.
  • Ninjato – pela inteligente e sensível articulação entre a linguagem de vídeo e a proposta pedagógica/artística em dança com o público infantil.
  • Obsessão – pela temática da inclusão como mote para produção em videodança.
  • Raízes do útero – Pela articulação rigorosa entre os elementos da direção de fotografia, edição, trilha sonora, coreografia e direção de arte.

Destaque em Dança de Salão
Pequeno Juri: Felipe Meira Braga e Martha Royer

  • Vagner Eifler – pelo empenho, popularização e acessibilidade nos eventos públicos e gratuitos, além da promoção da cultura do Forró na cidade, dando espaço às bandas, às escolas e aos profissionais locais. É responsável pelos projetos Forró da CB e Forró Porto Alegre.
  • Katiusca Dickow – pela desconstrução de gênero na dança a dois e pela busca de novos caminhos de interpretação na Dança de Salão.
  • DJ Dedz (André Costa) – pelo trabalho de criação musical no Zouk e sua projeção e representatividade em âmbito nacional.
  • Maratona de Samba – 9ª Edição – pela qualidade e diferencial do evento desde seu preparo e disponibilização das aulas até a possibilidade de aproximação dos professores e alunos.
  • Projeto Borboleta – Luciana Coronel e Iara Mazzali (ACM) – pela produção artística, inclusiva e seu projeto pedagógico de ensino da Dança de Salão para pessoas com deficiência.
  • Malu e Roberto – pelo profissionalismo, dedicação, popularização e disseminação da Bachata em Porto Alegre.
Previous ArticleNext Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *