A dança no cinema, Ler, Ver e Ouvir

O Último Dançarino de Mao

aba_maos-last-dancer

Título Original: Mao’s Last Dancer
Título no Brasil: O Último Dançarino de Mao
Ano de produção: 2009
Gênero: drama
Direção: Bruce Beresford
Elenco: Chi Cao, Bruce Greenwood e Kyle MacLachlan
Sinopse: Aos 11 anos, durante a Revolução cultural de Mao Tse Tung, na China, Li Cunxin é escolhido para abandonar sua família e estudar balé na escola de dança de Madame Mao. Quando adulto, é enviado para um intercâmbio em uma das mais importantes escolas de balé nos EUA, fato que mudaria sua vida para sempre.

 

Uma inspiradora história real

O filme é baseado na autobiografia do bailarino chinês Li Cunxin “Adeus China – O Último Dançarino de Mao”, que se tornou um best seller. Sexto filho de uma família de camponeses, Li morava em Qingdao, uma aldeia pobre no interior da China, enquanto o país vivia a Revolução Cultural de Mao Tsé Tung. Os delegados culturais do governo estavam à procura de jovens camponeses que, depois de receberem a formação necessária, seriam os fiéis guardiões da grande visão de Mao para a China. Por sua elasticidade, em uma seleção entre vários garotos, aos 11 anos foi escolhido e levado para estudar balé na escola de dança de Madame Mao, em Pequim. Afastado da família e, inicialmente, não mostrando grande talento para a dança o garoto não gostava do balé durante a adolescência até que, incentivado por um dos professores, buscou a superação e passou a ser o melhor de sua turma. Em 1979, foi aos EUA participar de um intercâmbio de três meses na Cia Houston Ballet, no Texas. Lá se apaixonou por uma garota, revelou seu talento para o mundo e, ao decidir permanecer nos EUA, criou um problema diplomático que resultou na proibição de voltar à China para rever seus familiares.

Um filme que vale a pena ser assistido não apenas pelas belas cenas de dança, mas também pelo relato de um momento político histórico através da batalha inspiradora deste bailarino chinês que superou todas as expectativas. A direção do filme é assinada pelo australiano Bruce Beresford, do premiado “Conduzindo Miss Daisy”. Seu trabalho nas cenas que reconstroem o passado de Li na China conseguem trazer sutileza e veracidade para a história. Já os trechos de balés como Don Quixote e O Lago dos Cisnes, entre outros números de dança que aparecem no filme, foram muito bem produzidos e colocados entre as cenas na medida certa. Para quem aprecia dança um prato cheio.

A seleção dos atores foi outro ponto positivo do filme. Chi Cao, que foi escolhido pelo próprio Li para interpretá-lo na fase adulta, é um bailarino chinês que dança na Birminghan Royal Ballet, na Inglaterra. Cao é filho de dois dançarinos que foram professores de Li na Academia de Balé de Pequim e trouxe autenticidade ao papel. “Acredito que existem muitas similaridades entre minha vida e a de Li, especialmente no que diz respeito as nossas carreiras. Nós treinamos na mesma escola em Pequim e eu fui para a escola do Royal Ballet em Londres quando tinha 15 anos, então ambos fomos para o Ocidente bem jovens, sem conhecer a língua e, basicamente, tivemos que descobrir sozinhos como as coisas funcionavam”, comenta Chi Cao.

Chi Cao, bailarino que interpretou Li na fase adulta, em cena do filme

Cao lembra que em vários momentos o diretor elogiou sua atuação por transmitir a emoção que a cena exigia, por mais difícil que fosse: “Eu explicava a ele que pra mim aquilo não era interpretação, porque eu sabia exatamente como era sentir aquilo e acho que isso ficou aparente no filme. Eu sempre achei que podia fazer bem o papel”.

Wen Bin Huang interpretou Li na infância e Guo Chengwu atuou como Li na adolescência. O coreógrafo do filme foi o australiano Graeme Murphy, responsável por tornar a Cia de Dança de Sidney em uma das mais bem sucedidas do país.

Postagem AnteriorPróxima Postagem
Jornalista formada pela Universidade Tuiuti do Paraná, atuando na área desde 1997 como repórter, redatora e assessora de imprensa. Em 2010, lançou o site Dança em Pauta com a proposta de empregar seu conhecimento em comunicação para divulgar a dança. Trabalhou em publicações segmentadas em Curitiba e São Paulo. Desde 2004, desenvolve trabalho de assessoria de comunicação para profissionais e empresas atuando no planejamento e execução de estratégias de comunicação interna e externa, produção de conteúdo, publicações corporativas e assessoria de imprensa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *