Notícias, Universo da Dança

Entidades, grupos e coletivos se unem em repúdio ao feminicídio: “A vida pede passagem”

Neste sábado (08/02), será realizado um ato organizado por mulheres, artistas e capoeiristas de São Paulo e região, de forma autônoma e espontânea, em repúdio à violência de gênero e em memória daquelas que morreram por serem mulheres. A ação é motivada pelo brutal assassinato da bailarina Maria Glória Poltronieri Borges, no último dia 25/01, em uma cachoeira, no município de Mandaguari, interior do Paraná. No sábado passado, em várias cidades brasileiras já houve manifestação semelhante.

A concentração dos participantes será às 14h, na Praça do Ciclista, próximo à esquina da Avenida Paulista com a Rua da Consolação. A passeata será iniciada às 15h com destino ao Theatro Municipal de São Paulo.

“A vida pede passagem: #MagóPresente #nenhumaamenos” é uma manifestação política e de conscientização, cuja essência é chamar atenção para os índices crescentes de feminicídio e violência contra a mulher. No outro extremo, é também uma celebração à vida – a grande missão de Maria Glória em seus 25 anos de vida. Por isso, procuramos congregar expressões culturais diversas que fizeram parte e inspiravam sua vida e trabalho, como a capoeira, a dança, a poesia, a arte circense, o samba de roda e o maracatu. Todas as formas de manifestação artística são bem-vindas, pois, apesar de ser sobre o assassinato de mulheres, é da vontade de seus familiares e amigos que este ato seja focado na celebração da vida – exatamente o que Maria Glória gostaria e faria se estivesse viva. Magó, presente hoje e sempre!

Sobre Maria Glória Poltronieri Borges
Era artista e produtora. Dividindo seu tempo entre São Paulo e Maringá, se dedicava à pesquisa em dança, improvisação e educação somática. Formada em Ballet Clássico, em 2011 iniciou sua pesquisa e estudos em dança contemporânea, contato e improvisação e métodos de educação somática. Integrou a Cia Carne Agonizante (SP) com direção de Sandro Borelli (2014 a 2016) e o Núcleo Improvisação em Contato/NIC (SP) com direção de Ricardo Neves (2014 a 2017). Estudou circo na Associazone ArterEGO (BO-ITA) em 2017. Por meio da Cia Duo Due, iniciou e desenvolveu os trabalhos “Onomatopéias Silenciosas” e a pesquisa e criação do espetáculo “Fragile”, junto a Ana Clara Poltronieri, sua parceira e irmã. Em 2019, em parceria com a DJ Chá di Lirian, realizou o espetáculo “Noite Oceânica, Geral Sentiu”. Produtora e articuladora cultural, idealizou diversos projetos em benefício da cidade de Maringá, como o ProjecT.aTo – A Dança como Ato, o Ciclo de Vivências em Danças Circulares Sagradas e a Formação Continuada em Dança. Praticante de capoeira angola e percussionista desde 2012, na Associação Cultural Capuera Angola Paraguassu, liderada por Mestre Jaime de Mar Grande, além de integrante do Grupo Sambaiá de Samba Raiz, de Maringá, desde 2018. Maria Glória era defensora dos animais e da natureza, dos povos originários, do amor, da generosidade e da abundância. Era um ser altamente espiritualizado.

O ato é apoiado pelas seguintes entidades, grupos e coletivos:

  • A Corda Samba de Roda – Salvador (BA)
  • Academia de João Pequeno de Pastinha (CECA) – Matriz Salvador (BA)
  • Academia de João Pequeno de Pastinha (CECA) – São Paulo (SP) – Mestra Dedê
  • Associação Cultural Eu Sou Angoleiro (ACESA) – Belo Horizonte (MG) – Mestre João
  • Africanamente Escola de Capoeira Angola
  • Angoleiras de Upaon Açu – (MA)
  • Angoleiras Sampa
  • Angoleiros da Serra
  • Angoleiros do Mar – Paris
  • Angoleiros do Sertão
  • Associação Cultural de Capoeira Angola Cativeiro
  • Associação Cultural de Capuêra Angola Paraguassu
  • Associação de Capoeira Angola Dobrada (ACAD) – Belo Horizonte (MG)
  • Associação de Capoeira Angola Relíquia Espinho Remoso
  • Associação de Capoeira Axé Bahia – Ilha de Boipeba (BA)
  • Associação de Capoeira Ngolo Ia Muanda – Santiago (CHILE)
  • Bando Maré de Março Capoeira Angola – Belo Horizonte (MG)
  • Bando Tupinambá Capoeira Angola
  • Campoeira Pueblo Libre – Talagante (CHILE)
  • Capoeira Angola – Escola Mutungo
  • Capoeira Flor de Angola – Colônia (ALEMANHA)
  • Centro de Capoeira Angola Angoleiro Sim Sinhô (CCAASS)
  • Centro de Capoeira Luz Di Angola – Olinda (PE)
  • Colectivo Nenhuma Angoleira a menos
  • Coletivo Camaradagem – Cidade do Mexico (MÉXICO)
  • Coletivo Chamada de Mulher
  • Coletivo Donas Marias – Uberlândia (MG)
  • Coletivo Feminista Flores de Angola (PA)
  • Coletivo Nacional de Manas pela Conservação da SocioBiodiversidade
  • Coletivo Pretas Angoleiras
  • Coletivo Terrêzu – Belo Horizonte (MG)
  • Comunidade Cultural Quilombaque
  • Comunidade de Contato Improvisação de São Paulo
  • Dandara Coletivo de Mulheres Capoeiras – Roma (ITÁLIA)
  • DAS, Dispositivo de Artes Experimentais – Bolonha (ITÁLIA)
  • Equilibri, Festival Internacional de Circo – Bolonha (ITÁLIA)
  • Escola de Capoeira Angola Ifé
  • Escola de Capoeira Angola Raiz Negra – São José dos Campos (SP)
  • Escola Matumbé Capoeira Angola – (ITÁLIA)
  • Eu sou angoleiro – Belém do Pará (PA)
  • FICA – Bahia
  • FICA – Chicago (EUA)
  • FICA – Filadélfia (EUA)
  • FICA – Florianópolis
  • FICA – ITÁLIA
  • FICA – Santiago de Compostela (ESPANHA)
  • FICA – Alto Paraíso de Goiás
  • FICA – Barcelona (ESPANHA)
  • FICA – Berlin (ALEMANHA)
  • FICA – Bogotá (COLÔMBIA)
  • FICA – COSTA RICA
  • FICA – Distrito Federal
  • FICA – Fortaleza
  • FICA – Goiás
  • FICA – New York (EUA)
  • FICA – Valença
  • Flor no Asfalto Capoeira Angola
  • Formação em Esquizoanalise: perspectiva transdisciplinar da clínica – RJ
  • Grupo de Capoeira Angola Cabula (GCAC) – Salvador (BA)
  • Grupo de Capoeira Angola Volta ao Mundo (GCAVAM) – Vitória (ES)
  • Grupo Filhos de Angola (GCFA ) – Mestre Laércio
  • Grupelho – Grupo de Estudos e Ações em Filosofia e Educação FaE/UFMG
  • Grupo Angola de Ouro – Belo Horizonte (MG)
  • Grupo Candeia de Capoeira Angola – (MG) – Mestra Alcione
  • Grupo de Capoeira Angola (ATE) – Rosário (ARGENTINA)
  • Grupo de Capoeira Angola Camujerê (GCAC)
  • Grupo de Capoeira Angola de Minas
  • Grupo de Capoeira Angola do CEPEUSP
  • Grupo de Capoeira Angola Ginga Erê – Florianópolis (SC)
  • Grupo de Capoeira Angola Irmãos Guerreiros
  • Grupo de Capoeira Angola Mocambo de Aruanda
  • Grupo de Capoeira Angola Volta ao Mundo – (GCAVAM) – (RJ)
  • Grupo de Capoeira Angola Volta do Mundo – Bogotá (COLÔMBIA)
  • Grupo de Capoeira Angola Zimba
  • Grupo de Capoeira Angolinha (GCANG) – (RJ/PA)
  • Grupo de Capoeira Irmandade de Angola
  • Grupo de Capoeira Ngolo Nguzu – Olinda (PE)
  • Grupo de Estudos Angolas Almar de Capoeira Angola e Cultura Popular
  • Grupo de Estudos e Intervenção Feminista Marias Felipas
  • Grupo de Iuna de Capoeira Angola – Belo Horizonte (MG) – Mestre Primo
  • Grupo Nova Geração de Angola – (SP)
  • Grupo nZambi de Capoeira Angola
  • Grupo São Bento Pequeno de Capoeira Angola – (BRASIL e ITÁLIA)
  • Guerreiros de Senzala
  • Herança de Angola – Olinda (PE)
  • Instituto Aluandê de Capoeira Angola (RJ)
  • Instituto Nzinga Capoeira Angola
  • Laboratório de Grupos, Instituições e Redes Sociais – L@gir/UFMG
  • Malungo Centro de Capoeira Angola – (BA/PA)
  • Mandingueiros do Amanhã – (MA)
  • Marakatimba Percussões – Bolonha (ITÁLIA)
  • Movimento Cadê Salomé – (TO)
  • Movimento Mulheres Angoleiras de Ubatuba
  • Movimento Mulheres do Mar
  • Movimento Rio é Rua
  • Ngoma Capoeira Angola – Rio de Janeiro (RJ)
  • Núcleo de Artes Afrobrasileiras da USP
  • Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas (NEABI) / IFTO – Araguatins (TO)
  • Organização Beneficente, Social e Cultural Nzo Musambu Hongolo Menha- Casa do Arco-Íris
  • Rede Festivais de Circo
  • Só Angola, Associação de Capoeira Angola do Estado de Goiás – Goiânia (GO)
  • Só Angola – (TO)
  • TERREIRO Capoeira – Distrito Federal – M. Mafú
  • TERREIRO Mandinga de Angola (TMA) França
Previous ArticleNext Article
Jornalista formada pela Universidade Tuiuti do Paraná, atuando na área desde 1997 como repórter, redatora e assessora de imprensa. Em 2010, lançou o site Dança em Pauta com a proposta de empregar seu conhecimento em comunicação para divulgar a dança. Trabalhou em publicações segmentadas em Curitiba e São Paulo. Desde 2004, desenvolve trabalho de assessoria de comunicação para profissionais e empresas atuando no planejamento e execução de estratégias de comunicação interna e externa, produção de conteúdo, publicações corporativas e assessoria de imprensa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *