Espetáculos/Shows, Notícias

Dança negra e cotidiano: Cia Treme Terra apresenta espetáculo Anonimato

aba_orikis_cia-treme-terra

Nos dias 29 e 30/06, a Cia Treme Terra encena a coreografia Anonimato – Orikís aos Mitos Pessoais Desaparecidos, na Sala de Espetáculo II do Sesc Belenzinho, em São Paulo, com direção geral e musical de João Nascimento e direção coreográfica de Firmino Pitanga.

As criações cênico-musicais são resultados de processos e vivências coletivas. Anonimato é um espetáculo de dança negra que revela situações do cotidiano brasileiro, bem como, aspectos ligados ao soterramento e aniquilamento das memórias negras no seio de uma sociedade eurocentrada, marcada por um histórico secular racista e colonialista, que violenta pessoas e tradições culturais de matrizes africanas, indígenas e periféricas.

De maneira poética (não dissociada da política, como discurso libertário), a obra aborda o genocídio étnico-cultural e suas consequências na vida social urbana, a “invisibilização” de mestras e mestres da cultura popular abandonados à solidão.

Traçando um paralelo simbólico com os rituais de axexê, suas relações com eguns, orixás e nkisis que estão fortemente associados à morte, bem como ao renascimento e outros desdobramentos, a Cia Treme Terra aprofunda sua pesquisa mitológica partindo das tradições bantu e yoruba no Brasil, estudos de movimentações para um corpo que dança e reverbera sons percussivos e vocais, dando origem as re-criações cênicas inspiradas (de maneira não literal) em histórias recolhidas de importantes personagens da cultura negra e periférica.

orikis_cia-treme-terra

Na língua yorubá, Ori significa “cabeça, destino”, e Ki, “saudar”. O oríkì é uma forma poética orgânica de elaboração do conhecimento organizada pela etnia iorubá, uma espécie de provérbio popularmente estudado e difundido no Brasil por pessoas iniciadas nos terreiros de candomblé e pesquisadores, os oríkìs são fontes de um saber que está relacionado aos orixás. São canções de guerra, cantigas de ninar, hinos, preces, orações, cânticos religiosos, cantos funerais, encantações, poemas didáticos, podendo-se inclusive ser encontrado nos textos percussivos, frases rítmicas dos “tamas” (tambores falantes africanos que quando tocados com baquetas possuem modulação de tonalidades e timbres).

A pesquisa do projeto ANONIMATO – Orikís aos Mitos Pessoais Desaparecidos foi contemplada no 20º edital de Fomento a Dança da Cidade de São Paulo.

A Cia Treme Terra foi criada em 2006, com o propósito de valorizar, pesquisar e difundir a cultura negra, no Morro do Querosene, zona oeste de São Paulo.


O que: espetáculo ‘Anonimato – Orikís Aos Mitos Pessoais Desaparecidos’
Quando: 29 e 30/06, às 20h
Onde: Sesc Belenzinho – Sala de Espetáculos II
Rua Padre Adelino, 1000 | São Paulo-SP
Quanto: R$ 20,00 (inteira)
*Não recomendado para menores de 12 anos.
Informações/ingressos: (11) 2076-9700 | www.sescsp.org.br/belenzinho

Postagem AnteriorPróxima Postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *