Eu danço

Dança das Flores: a bailarina que perdeu o equilíbrio

aba_laura-flores

Conquistar o equilíbrio nos movimentos é algo fundamental para quem quer aprender a dançar, mais ainda para os profissionais, que necessitam desta habilidade para a execução perfeita de suas performances. Laura Flores tinha esta e outras tantas habilidades características dos dançarinos profissionais que, somadas a sua paixão e dedicação, a ajudaram a construir uma bela carreira. Nascida e criada em Florianópolis-SC, ela começou as aulas de balé aos seis anos e, com o tempo, estudou também jazz e afrodance. Mas foi aos 16 anos, na escola de dança de Edson Nunes, que ela encontrou seu gênero predileto da arte, a dança de salão. Aos 18 anos já era professora da escola e seguiu participando de mostras de dança e competições pelo país ao lado do parceiro Luiz Kirinus, se aprimorando e ganhando destaque. Ela também participou da fundação da Associação Catarinense de Dança de Salão (Acads) e da criação do Baila Floripa, evento de destaque nacional. A vida era uma coreografia muito bem sucedida para Laura quando, aos 27 anos, ela, literalmente, perdeu o equilíbrio.

Laura Flores e Luiz Kirinus

Durante uma viagem ao Rio de Janeiro, Laura sentiu enjoos, tonturas e não conseguia manter o tronco ereto, nem mesmo sentada. Foi trazida de volta a Florianópolis e, após 15 dias internada, diagnosticada como portadora da Síndrome de Susac, uma doença raríssima, com apenas 304 casos registrados no mundo desde sua descoberta, em 1979. Trata-se de uma doença autoimune, como o lúpus e a artrite reumatoide, em que o sistema de defesas do organismo funciona de forma errada, não apenas defendendo o hospedeiro de agressões externas, mas defendendo-o dele mesmo, desta forma, se autoagredindo. A doença afeta a visão, a audição e causa encefalite, que é a inflamação do tecido cerebral. “Eu tive uma grande confusão mental, em um momento cheguei a esquecer meu nome. A recuperação foi bem lenta, só dois anos depois de iniciar o tratamento voltei a pensar normalmente”, relata. Embora a perda da visão, da audição e a confusão mental que a afetaram, sejam os sintomas mais relatados pelos portadores de Susac, o principal problema para Laura foi a perda do equilíbrio – exatamente esta habilidade tão apurada na dançarina -, que a deixou boa parte de sua recuperação em uma cadeira de rodas. “O mais curioso é que faço parte de uma comunidade de portadores de Susac no Facebook e de todos com que converso, nenhum ficou com o equilíbrio tão detonado como o meu. No começo eu achava que ia voltar a dirigir, correr e dançar normalmente, mas quando percebi que não seria bem assim entrei em depressão”, relata.

Laura e seu parceiro no Baila Floripa 2004

Foi neste período que ela recebeu a visita de uma amiga, fundamental na recuperação de sua autoestima, e que acabou resultando no livro “Dança das Flores: a bailarina que perdeu o equilíbrio”, em que ela relata esta passagem de sua vida, como enfrentou os problemas diante de suas necessidades especiais e o que ela chama de seu renascimento como bailarina. “A Paula era minha melhor amiga na faculdade. Estava morando na Suíça e veio me visitar. Contei o que tinha acontecido e fiquei surpresa porque ela me tratou como se nada tivesse mudado, como se eu fosse a Laura de sempre, que eu sou. Aquilo mexeu comigo. Ela me dava várias ideias na tentativa de me motivar e não adiantava, mas quando ela falou sobre escrever um livro, eu me reanimei e pensei: ‘é isso que vou fazer!’”, conta. O livro, finalizado este ano, está sendo editado graças ao chamado financiamento colaborativo, ou Crowdfunding, e também traz um pouco da história da dança de salão em Florianópolis, além de fotografias, poesias autorais e capítulos escritos por amigos de Laura.

Hoje, curada da síndrome e tratando das sequelas da doença, o grande desafio de Laura é retornar ao palco da vida. Nesta tarefa, pequenas ações do dia-a-dia, como caminhar sozinha e carregar compras, são uma conquista a ser comemorada, uma evolução, como ela ressalta. Para isso, além da fisioterapia, foram vários os tratamentos a que ela se submeteu, como psicoterapia, equoterapia, hidroterapia, além, é claro, da ajuda de uma arte tão familiar a ela através da dançaterapia e da dance ability, duas técnicas que utilizam a dança como forma de terapia física e psicológica para pessoas com ou sem deficiência. “Tudo isso é pra me ajudar a entender esta nova Laura”, relata.

A dançarina em recente milonga organizada por Carlos Peruzzo, em Florianópolis.

Mas se existe algo que a nova Laura não deixou para trás foi sua paixão pela arte de dançar. “Dançar é mais fácil do que caminhar pra mim, e melhor ainda dança de salão”, ressalta ela, que está em fase de ensaios para o espetáculo “Floreando com Laura e convidados”, uma noite que marcará o lançamento de seu livro com sessão de autógrafos e várias apresentações de dança. No evento, que acontece no dia 10/07, às 20h, no Teatro Álvaro de Carvalho, em Florianópolis, Laura dançará com Guilherme Soares, seu parceiro desde 2012, com suas sobrinhas Gisele e Yasmin Flores, e também com uma cadeirante. “Quero mostrar que todos podem dançar”, diz. Com direção artística de Geovana Oliveira e locução de Lidia Macedo, o espetáculo também terá apresentações dos profissionais de dança de salão Alexandra Klen, Ricardo Tetzner, Gabriel Ferreira, Lidiani Emmerich, João Biasotto e Vanessa Lyra, de dança cigana com Kelly Cavalcanti, e Can Can com o grupo Athené Tamisier. Ainda entre os convidados especiais, o ex-parceiro Luiz Kirinus, Cristovão Christianis, Arthur Fernandes e a dupla Karina de Souza e Kiraly Garcia, da Argentina, participarão com ela de uma ronda de tango com som ao vivo da Orquestra Capotango, composta pelos músicos Gustavo Lorenzo, Pablo Greco e Pablo Lazarte.

Laura no palco com o dançarino Guilherme Soares, seu parceiro atual.

Passados oito anos desde a descoberta da Síndrome de Susac, que alterou sua trajetória, Laura diz estar vivendo uma fase serena, mas de adaptação a uma nova vida, que é exatamente a mensagem que ela gostaria que as pessoas captassem ao lerem seu livro. “Tudo está sempre mudando, a vida é uma constante mudança, mas tudo é possível, tudo se adapta”, finaliza.

Fotos: Arquivo pessoal e banco de imagens

.

.

  • O que: Floreando com Laura e Convidados
    O que: Espetáculo, lançamento do livro e sessão de
    O que: autógrafos
    Quando: 10/07, às 20h
    Onde: Teatro Álvaro de Carvalho
    Onde: Rua Mal. Guilherme, 26 – Centro | Florianópolis-SC
    Quanto: Ingressos R$ 30,00 (inteira) | Livro R$ 40,00
    Informações:www.lauraflores.com.br
Postagem AnteriorPróxima Postagem
Jornalista formada pela Universidade Tuiuti do Paraná, atuando na área desde 1997 como repórter, redatora e assessora de imprensa. Em 2010, lançou o site Dança em Pauta com a proposta de empregar seu conhecimento em comunicação para divulgar a dança. Trabalhou em publicações segmentadas em Curitiba e São Paulo. Desde 2004, desenvolve trabalho de assessoria de comunicação para profissionais e empresas atuando no planejamento e execução de estratégias de comunicação interna e externa, produção de conteúdo, publicações corporativas e assessoria de imprensa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *