Espetáculos/Shows, Notícias

Com dois brasileiros no elenco, Dance Theatre of Harlem se apresenta no Brasil

Ícone da dança norte-americana e uma referência internacional nesta arte, a histórica cia Dance Theatre of Harlem (DTH) volta a se apresentar no Brasil, após 23 anos, em turnê que comemora seus 50 anos de atuação. Se a apresentação da renomada cia já atrai naturalmente a atenção dos bailarinos e apaixonados por esta arte no país, o interesse é ainda maior pelo fato de dois brasileiros integrarem o elenco: Ingrid Silva, primeira bailarina da cia, e Dylan Santos.

Ao todo serão cinco apresentações durante o mês de outubro. Em São Paulo, no Teatro Alfa, nos dias 11 e 12/10, com entrada mediante ingresso, e mais uma matinê gratuita no Dia das Crianças. Em Trancoso, no Teatro L’Occitane, serão duas apresentações, além de workshops, entre os dias 15 e 18/10.

Ingrid Silva e Dylan Santos, os brasileiros no elenco do Dance Theatre of Harlem. | Foto: François Rousseau

Para Ingrid Silva, realizar a matinê e os workshops, com foco no público jovem, será especialmente gratificante nesse tour pelo Brasil: “Para aqueles que têm interesse em dança, também é uma oportunidade de conviver com profissionais que poderão inspirá-los pelo resto da vida. E, com dedicação e disciplina, todos têm a possibilidade de alcançar o que nós conquistamos”.

Destaque no elenco multicultural do DTH, Ingrid e Dylan cresceram no Brasil, em uma realidade totalmente diferente da que vivem hoje em Nova York. Ambos passaram parte da infância sem saber se um dia alcançariam o sonho de participar de uma companhia de balé e poder dançar profissionalmente. Agora, pela primeira vez desde que ingressaram na cia, se apresentam com a mesma em solo brasileiro.

“Quando praticava balé na infância, dançava muito no Teatro Alfa, me espelhava nos profissionais e ficava maravilhado. Agora terei a chance de me apresentar para o público infantil no mesmo local que me fez sonhar com essa carreira. Espero inspirar essa nova geração e mostrar que tudo é possível”, diz Dylan.

Mais 15 bailarinos participam das cinco apresentações no país que levarão ao público as obras:

  • Valse Fantaisie, de George Balanchine (1904-1983), com música de Mikhail Glinka. Uma peça histórica, produzida originalmente em 1953 para o New York City Ballet;
  • Dancing on the Front Porch of Heaven, do coreógrafo Ulysses Dove (1947-1996), com música de Arvo Pärt. Uma peça de 1993, que o DTH remontou e estreou em 2013;
  • Change, de autoria da coreógrafa e artista de teatro, grande dama da dança norte-americana, Dianne McIntyre. Com música do coro feminino Spelman College Glee Club e de Eli Fountain, é uma coreografia de 2016 sobre mulheres guerreiras e inovadoras de todas as raças;
  • Return, que encerra o programa, estreou em 1999 e foi concebida por Robert Garland, atual coreógrafo residente do DTH. Mistura de clássico e pop, tem música de Aretha Franklin e James Brown;
  • Balamouk, com coreografia de Annabelle Lopez Ochoa e música da banda francesa Les Yeux Noirs, que desenvolve um trabalho multicultural, combinando elementos como jazz manouche e música iídiche;
  • The Bitter Earth, do coreógrafo Christopher Wheeldon, obra já dançada pelo New York City Ballet, com música de Dinah Washington.
Anthony Santos e Amanda Smith. | Foto: Rachel Neville

Sobre o Dance Theatre of Harlem

Fundada pelo lendário Arthur Mitchell (1934-2018), o primeiro afro-americano a se tornar principal bailarino do New York City Ballet, e seu antigo professor de dança Karel Schook (1920-1985), em seus 50 anos de existência, fez do balé uma expressão cultural acessível a todos. Em 1971, apenas dois anos após sua fundação, o jornal The New York Times classificou a instituição como “um dos empreendimentos mais interessantes do balé”. Patrimônio internacional das artes, a DTH, originária do Harlem, bairro de Nova York, tornou-se uma instituição composta por uma consagrada companhia de dança, uma escola de balé e um renomado programa de educação artística e engajamento comunitário, o Dancing Through Barriers (Dançando Através de Barreiras). Ao longo de sua admirável trajetória, o DTH tem comprovado o poder da arte de transformar vidas.

Ao longo de seus 50 anos, se apresentou em 41 países dos seis continentes e em mais de 250 cidades de 44 estados norte-americanos. Somente no último ano, o DTH se apresentou para um público estimado de 60 mil pessoas nos Estados Unidos, sendo mais de seis mil pessoas durante a temporada no New York City Center.

Atualmente, o grupo é liderado pela segunda geração de artistas inspirada na visão de Arthur Mitchell: a diretora artística Virginia Johnson, ex-primeira bailarina da companhia e que participou da fundação do grupo, e Anna Glass, diretora executiva.

Sobre Ingrid Silva

Ingrid Silva. | Foto: Dave Andrews

29 anos, nasceu no Rio de Janeiro e iniciou no balé aos oito anos no Projeto Dançando Para Não Dançar (Escola de Balé das Comunidades). Continuou os estudos na Escola de Dança Maria Olenewa e no Centro de Movimento Debora Colker, com bolsa de estudos integral. Em 2007 ganhou uma bolsa de estudos para o Dance Theatre of Harlem School e, em 2013, tornou-se a principal bailarina do Dance Theatre of Harlem. Além da dança, Ingrid se dedica ao projeto Empow’Her, plataforma colaborativa criada para empoderar mulheres, e dar voz às questões feministas.

Sobre Dylan Santos

Dylan Santos. | Foto: François Rousseau

27 anos, nasceu na cidade de Ipiaú, no interior da Bahia. Aos dois anos mudou-se com sua família para São Paulo, onde começou sua formação em dança moderna e jazz. Aos 12, ingressou no Centro de Artes Pavilhão D, recebendo instruções do professor Ricardo Scheir. Cinco anos depois, aos 17, começou a atuar em companhias internacionais, como Houston Ballet (como trainee), Orlando Ballet, Chicago Ballet e Paris Opera Ballet, até chegar ao Dance Theatre of Harlem.


O que: turnê brasileira do Dance Theatre of Harlem
Ingressos: www.mozarteum.org.br
Informações: (11) 3815-6377
Programação:

  • São Paulo-SP
    Quando: 11 e 12/10, às 21h | 12/10, às 15h – matinê gratuita para crianças*
    Onde: Teatro Alfa
    Quanto: R$ 250,00 (Balcão e Frisas) | R$ 400,00 (Plateia)
    * ingressos retirados com antecedência, no escritório do Mozarteum Brasileiro.
  • Trancoso
    Quando: 17 e 18/10, às 18h30
    Onde: Teatro L’Occitane
    Quanto: R$ 100,00 (Inteira) | R$ 20,00 (Comunidade)
Previous ArticleNext Article
Jornalista formada pela Universidade Tuiuti do Paraná, atuando na área desde 1997 como repórter, redatora e assessora de imprensa. Em 2010, lançou o site Dança em Pauta com a proposta de empregar seu conhecimento em comunicação para divulgar a dança. Trabalhou em publicações segmentadas em Curitiba e São Paulo. Desde 2004, desenvolve trabalho de assessoria de comunicação para profissionais e empresas atuando no planejamento e execução de estratégias de comunicação interna e externa, produção de conteúdo, publicações corporativas e assessoria de imprensa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *