Espetáculos/Shows, Notícias

Balé Teatro Guaíra abre comemorações dos 50 anos com A Sagração da Primavera

A programação especial do Balé Teatro Guaíra (BTG) para seu aniversário de 50 anos começa na próxima sexta, sábado e domingo, dias 03, 04 e 05 de maio, no Guairão. A companhia irá apresentar a montagem de A Sagração da Primavera com coreografias da portuguesa Olga Roriz, versão que veio aos palcos do Guairão pela primeira vez em 2012. Todas as apresentações contarão com a participação da Orquestra Sinfônica do Paraná (OSP).

Entre os anos de 2012 e 2014, o BTG apresentou A Sagração da Primavera por nove estados brasileiros, alcançando mais de 30 mil espectadores. Com esta obra, a companhia recebeu lugar de destaque no cenário nacional da dança.

“No meu ponto de vista, A Sagração da Primavera é uma das obras mais inquietantes e impactantes do repertório musical e coreográfico. A composição musical de Stravinsky e a concepção dramatúrgica e coreográfica de Olga Roriz me tocam profunda e genuinamente”, diz Cintia Napoli, diretora do Balé Teatro Guaíra.

Esse sentimento de inquietação que a obra traz pode ser explicado, segundo Stefan Geiger, maestro-titular da Orquestra Sinfônica do Paraná, pela maneira como a música foi escrita: “Stravinsky transformou toda a orquestra em uma grande percussão. Podemos ouvir violinos imitarem o som das caixas claras e tambores, o que nos leva para dentro da época tribal na qual a história do balé se desenvolve”.

O destaque para os sons da percussão faz sentido com a história de A Sagração da Primavera. A obra fala sobre um ritual pré-histórico de sacrifício ao Deus da primavera, movido pelos sons de bumbos e tambores. Uma jovem é escolhida pelos anciãos de sua tribo para dançar até a morte, na esperança de trazer boas colheitas e fertilidade ao seu povo. Essa atmosfera ritualística aparece na coreografia de Olga Roriz na forma dos movimentos carregados por fortes respirações dos bailarinos.

Cena de “A Sagração da Primavera” do Balé Teatro Guaíra. | Foto: Maringas Maciel

A versão que será apresentada nas comemorações dos 50 anos do BTG é diferente da original em vários aspectos. O mais evidente é o palco coberto com serragem e a névoa que envolve os bailarinos, que ajudam a aproximar a plateia do clima primitivo que envolve a dança, a música e a história.

Outras duas mudanças acontecem com os personagens do Sábio e da Eleita. Em vez de ser um mero espectador da narrativa, o Sábio traça o percurso e prepara o terreno para o ritual de sacrifício ao deus da primavera. Já a Eleita não é mais uma vítima, e sim uma jovem mulher que se sente privilegiada por dar sua vida em troca de prosperidade ao seu povo. Para as três bailarinas que interpretarão o papel, esta é a chance de mostrar não só seus conhecimentos técnicos, mas também uma entrega total à personagem.

“Acredito que o grande desafio em dançar A Sagração da Primavera de Olga Roriz é lidar e se entregar à força expressiva imposta pela própria obra. Não existe outra possibilidade que não seja se entregar 100% até o final, este é o maior desafio, mas também o maior prazer em dançar esta montagem”, ressalta Cíntia.

Mostra de Repertório – Balé Teatro Guaíra 50 anos

Além da Sagração da Primavera, o Balé Teatro Guaíra apresenta em maio os espetáculos Carmen (08/05, 20h30) e O Segundo Sopro (11/05, 20h30 e 12/05, 19h), duas grandes montagens de sucesso na história da companhia. Todas as apresentações serão abertas com trechos de O Grande Circo Místico, em memória a um dos balés mais famosos do Brasil e que foi concebido originalmente para o BTG.


O que: BTG 50 anos
A Sagração da Primavera + Homenagem O Grande Circo Místico
Quando: 03 a 05/05 | sex e sáb, às 20h30 – dom, às 19h
Onde: Auditório Bento Munhoz da Rocha Neto – Guairão
Quanto: R$20 (inteira)
Informações/ingressos: (41) 3315-0808 | diskingressos.com.br

Previous ArticleNext Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *