Ler, Ver e Ouvir, Música

DJ Allan Z e o “neozouk”

Aos 22 anos, o DJ Allan Z tem se destacado nas baladas dançantes de São Paulo com sua discotagem do neozouk, um estilo de zouk que, segundo ele, é mais corporal: “Ele tem mais efeito e, na minha opinião, dá uma estética mais bonita para o zouk. Neste estilo usamos muitas músicas de new wave e dance, além de colocarmos batidas mais fortes e mais envolventes pra poder dançar”, explica o DJ.

Fã de música eletrônica, Allan descobriu o zouk acompanhando sua tia em uma balada, em janeiro de 2008, e se encantou com o ritmo. “O zouk tem vários estilos e percebi que tinha músicas muito parecidas com a eletrônica. Depois deste dia não quis mais sair do meio”, relata.

Antes de entrar no mercado de discotecagem, ele conta que fez um curso com o DJ Nyx, que considera um dos melhores do mundo. Allan também organizou o primeiro evento de neozouk de São Paulo, com Mafie Zouker, dançarino e DJ carioca de destaque no estilo. “Com ele peguei a essência do neozouk que levei para São Paulo e, assim, tornei o estilo mais forte lá”, conta.

Além de São Paulo, Allan Z já tocou em eventos no Rio de Janeiro, Florianópolis, Brasília e, mais recentemente, no Zoukland, em Curitiba. Pela própria variedade de ritmos no zouk, ele explica que em cada cidade o público tem preferências por estilos diferentes, que vão sendo sentidas durante a balada e, desta forma, norteando a seleção de músicas. “O essencial para um DJ de zouk é fazer da mesma música que outros usam a música perfeita pra qualquer um que estiver dançando. A música tem que criar um clima, ganhar vida, pra que ela seja diferente”, diz.

Fotos: Daniel Tortora/Dança em Pauta
Previous ArticleNext Article

5 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *